Eu sempre me questionei porque é que as pessoas falam tanto em levar livros para ler nas férias. Eu percebo a justificação das mesmas quando dizem que o fazem porque querem pôr em dia a leitura que ficou para trás ao longo do ano. Até aí tudo bem, as pessoas se têm essa vontade então porque não, mas o que me intriga é a teimosia das pessoas. A maioria delas levam os livros mas não os lêem e até acontecem coisas curiosas, por exemplo, compram mais livros (visto que têm mais tempo livre), para lerem quando tiverem tempo, o mesmo será dizer que só nas próximas férias.

Além disso ainda temos que “gramar” com uma série de revistas e jornais que indicam uma série de livros a não perder ou então fundamentais ou ainda de leitura obrigatória, porquê?
Calculo que as pessoas, assim, deixem de ter os seus verdadeiros interesses e leiam o que os outros, sempre reconhecidas personagens da cultura, indicam.

Os amigos nisto também têm a sua influência, quando falam num livro e nos dizem:
– tens que ler pá, o livro x é altamente, vais gostar e a história, a história é…experimenta ou então num tom mais intimista:
– olha ando a ler um livro muito interessante, acho que também ias gostar.

O que acontece é que aceito melhor este tipo de influência, é mais genuíno, é mais próximo.

E eu? Eu não sei se levo livros para férias, pois não quero andar com um peso atrás e depois chegar ao fim e pensar, andei com os livros para ler só que não tive tempo nenhum. Tenho que os ler.

Partilhe este artigo: