Os relógios assumem-se cada vez mais como um acessório prestigiante para quem o usa, obviamente dependendo da marca e até mesmo de quem o usa, e também como um elemento de inestimável colecção e adoração.
Confesso que os relógios fascinam-me, principalmente quando são grandes, enormes, para colocar na parede, ora o que não sei é se esta adoração está directamente ligada com a minha dificuldade em gerir da melhor forma o meu tempo, contudo essa vontade de olhar para eles leva-me a estar atento às últimas tendências e modas e assim vejo-me obrigado a olhar com alguma regularidade para as fantásticas, ou não, publicidades referentes aos relógios.

Aliás isto é algo que já faço há algum tempo, mas nunca tinha olhado atentamente para os anúncios, isto é, nunca tinha percebido que quase todos eles têm algo em comum (digo quase porque já vi um ou dois anúncios em que isso não acontecia), até um amigo meu me chamar a atenção disso mesmo. Todos os anúncios de relógios têm as mesmas horas marcadas, a ser 22:10h!

É verdade. A filosofia baseia-se na necessidade do publicitário transmitir ao consumidor a sensação de equilíbrio. Se analisarmos com algum cuidado poderemos perceber que a disposição dos ponteiros dá a sensação que estão a aparar algo, isto se olharmos para eles e idealizarmos umas mãos. Agora imaginemos que os ponteiros assumem outra hora, por exemplo 15.40h, para percebermos que a sensação se altera.

A publicidade é realmente uma caixa de surpresas e os relógios também.

Partilhe este artigo: