Quem não se lembra dos discos de vinil e consequentemente dos gira-discos. Eu tenho alguma admiração por estas quase peças de museu, por me fazerem lembrar a minha infância. Muitas foram as vezes que ouvi os discos que o meu tio tinha guardados, religiosamente, em álbuns que por sua vez estavam fechados dentro de uma mala.
Agora em que os discos, parecem ter quase passado de moda, só em alguns casos é que se encontram editados LP, eu ainda sonho em ter um gira-discos. O ritual é único e faz-me viajar no tempo. Nos entretantos vou apenas desejando até porque os pedaços redondos de vinil aparecem com preços que desmotivam qualquer um.

Partilhe este artigo: