Numa visita calma e inquetante ao mesmo tempo, podemos viajar e dar a volta ao mundo, visualizando os seus aspectos sociais, políticos, economicos, desportivos, ecológicos…
Imaginar o sofrimento, a felicidade, o terror, a inquietação, o desespero, o ódio e o amor, de homens, mulheres, crianças e idosos, brancos, negros, mestiços, orientais, ocidentais.

É possível ver e sentir tudo isto, através das fotografias, a cores ou a p/b, que estão patente na exposição “World Press Photo“. Cada uma delas premeia alguém que conseguiu capturar, e congelar, para a posteridade exactamente “aquele” momento. A não perder.
Afinal não é todos os dias que podemos apreciar obras dos melhores do mundo.

Contudo não deixa de ser curioso que pelos sentimentos, acções, acontecimentos ou acasos de alguns, outros ganhem prémios. Mesmo sem esquecer que pela visulização de milhares ou milhões de pessoas em todo o mundo, daquelas mesmas fotografias, possa existir uma sensibilização global para a causa colectiva ou individual.

Partilhe este artigo:

Sem comentários

  1. Sem comentários

Comente