Bem, se só já comprava o DN, à sexta feira, por causa da revista 6ª,  então agora vou mesmo deixar de comprar o jornal. A revista acabou de vez e agora os conteúdos estão dispersos pelo jornal e pelos diversos suplementos que o constituem. É pena que tenha acabado, é pena que tenha terminado uma das revistas mais emblemáticas dos últimos anos no que concerne à analise musical, e não só. Não sei se nos entretantos irá aparecer alguma coisa para a substituir, mas será urgente, pois adivinho que o jornal vá ter uma quebra de vendas em favor do jornal Público, devido ao seu suplemento Ípsilon.

Uma outra coisa que não compreendo é a falta de aposta do Diário de Notícias, na sua edição on-line. É uma página desorganizada e muito pouco apelativa. Após duas reorganizações gráficas, do formato papel, a internet  parece ser um universo de fraco investimento do jornal, e não sei das consequências na venda efectiva do jornal. É sabido que cada vez mais o leitor procura informação actualizada e organizada e nesse âmbito o Público bate em pontos o DN.

Partilhe este artigo:

1 comentário

  1. Sem comentários

Comente