Lembro-me que quando era pequeno gostava de ver na televisão torneios de ténis. De ver a bola de um lado para o outro e da emoção da indecisão de quem ia ganhar. Passava pois, grandes períodos de tempo a ver esse desporto. Nessa altura os campeões eram …bem não me lembro dos nomes, pois pareceram-me sempre difíceis.

Depois disso fiquei com uma vontade latente de experimentar aquela coisa fantástica. Agora não consigo precisar quando foi a primeira vez que joguei, mas fiquei, imediatamente, grande fã. Nunca tive aulas e o que sei fui aprendendo a jogar com os amigos.

O local de jogo passou por alguns sítios, mas era na Urbanização S. Cristóvão que se realizavam os grandes jogos, por vezes até ao anoitece, onde só era possível ouvir a bola a bater e por isso tínhamos que adivinhar onde ela ia cair. Jogávamos horas seguidas em pequenos torneios, onde se coleccionavam vitórias. Sem dúvida que era emocionante. Ainda jogo com a raquete, que num aniversário (agora precisa de uma corda nova), me ofereceram. É de eterna estimação.

Há uns tempos e depois de não jogar há bastante tempo, estreei-me num novo piso – terra batida em espaço coberto. Foi em Monsanto com o meu amigo Hugo e tivemos umas boas bolas. É pena não ser possível repetir com a frequência desejada, pois seria com grande regularidade.

Mas fica a oportunidade, o momento.

Partilhe este artigo:

Sem comentários

  1. Sem comentários

Comente