imagem de techgadgets

A ideia de tirar fotografias e de as ter automaticamente ajusta-se, completamente, à nossa sociedade consumista e de resultados rápidos. As máquinas fotográficas Polaroid [até há pouco tempo dizia poloroid] conseguiram durante muitos anos dar essa resposta rápida e fazer a delicia de muita gente. O conceito, apontar, disparar e imprimir…ver e rever, guardar para mais tarde recordar, foi quase desfeito com o aparecimento das máquinas fotográficas digitais.

Quer a Polaroid quer as marcas de venda de rolos sofreram bastante, com ameaça de falirem tal foi a quebra de vendas. A ameaça teria que se revestir de oportunidade e para as empresas era sem dúvida um novo desafio e daí o aparecimento de novos produtos e desaparecimento de outros.

Andei até há pouco tempo com ideia de ter uma dessas máquinas, agora que estão a preços mais interessantes, mas é apenas uma ideia.

Mas não há nada que apostar em velhos conceitos e adaptá-las com novas tecnologias e daí surgiu, no passado mês de Novembro, uma máquina digital que imprime de imediato as fotografias! É verdade o conceito Polaroid em máquina digital, um espanto!

Eis aqui o link para a empresa e para as primeiras imagens das máquinas, que não estando à venda em Portugal já se podem comprar através da internet, por exemplo pela FNAC francesa.

Um outro dado importante e agora em momento de crise económica e financeira: a Polaroid pediu protecção para impedir a falência e para fazer novos investimentos.
Partilhe este artigo:

Sem comentários

  1. Sem comentários

Comente