e lá no fundo as ondas parecem serenas, mas aqui, bem próximo de mim, existe uma bandeira vermelha que me lembra o perigo que as águas revoltas significam.

e então permaneço sentado apenas com a ilusão de que me poderei lançar naquele mar

ele permanece inalterável, não sabe que eu existo e continua a sua dança.

é a diferença entre a vida dos elementos e de quem os contempla.

somos sempre demasiado pequenos para a sua dimensão, mas queremos sempre sonhar grande, como que em qualquer segundo existente, fossemos capaz de os dominar, e levá-los de baixo de um braço para os apresentar aos nossos amigos.

fiquemos então perante os nossos sonhos e deixemos tudo acontecer.

devagar, depressa ou como tiver que ser.

 

Partilhe este artigo:

Sem comentários

  1. Sem comentários

Comente