corto depressa sem precisão.

escuto os olhos que não me querem ver

e neles há névoas entrelançadas,

paisagens perdidas, sonhos inexistentes pela sua incapacidade de serem sonhos.

e rostos imperfeitos perfeitos na sua assimetria.

imagino sem querer, por lapso.

 

Partilhe este artigo:

Sem comentários

  1. Sem comentários

Comente